top of page

O Jogo do Rei

Rubyo é o filho bastardo do Rei de Minalkar, sendo também o único herdeiro. Quando ainda bebê, viu o reino de seu pai cair diante da fúria dos Orcs, e foi levado junto aos sobreviventes da guerra para um reino inimigo, onde além de encontrarem refúgio, encontraram também pobreza e humilhação.

Para seu miserável povo, Rubyo representa a esperança de dias melhores, afinal, o Rei há de retomar sua coroa e suas terras para devolver, aos refugiados, o seu lar e sua paz. Mas, para a rainha do reino onde habita, Rubyo representa uma grande ameaça e simboliza a maior traição e vergonha que já sofrera em toda sua vida. O jovem Rubyo, por sua vez, precisa lidar com a herança maldita de ser um rei sem reino, sem tesouro, sem exército — e muitas vezes, até sem comida.

Como pode alguém tão pobre ser capaz de conquistar um reino inteiro para seu povo?

A história de Rubyo e a tragédia de Minalkar se passa no mundo fantasioso de Carbium, mais especificamente em Cehvambar, terra onde a magia é monopolizada pelos magos do grande colégio de Michello. Envolto em complexas tramas políticas, Rubyo conta com sua lendária espada para vencer monstros, desafios e uma árdua jornada; com seus amigos e com a mentoria de antigos guerreiros, ele aprende muito mais do que esgrima e magia, mas também sobre dever, honra, amizade e família.

Inspirado em livros como O Nome do Vento, Senhor dos Anéis e As Crônicas de Gelo e Fogo, esse livro de fantasia sombria traz um novo significado sobre o que é ser um “rei”, colocando a visão cristã do sacrifício dentro do contexto da nobreza, e quebrando, assim, o estereótipo de monarcas hedonistas e de heróis que buscam a glória e o renome acima de tudo.

Clique abaixo e confira um guia visual da saga!

bottom of page